Todos nós que gostamos de carros temos paixão pelo passado, pela história que nos trouxe pelas estradas e ruas até os dias de hoje. Mas e daqui pra frente, como serão os carros do futuro? Já temos algumas comodidades antes pensadas apenas em filmes de ficção científica, como carros à bateria, hidrogênio, gás metano ou energia solar; o próprio GPS avisando sobre o movimento e problemas no trânsito; piloto automático com freio de emergência; o auxílio de uma central com pessoas conectadas auxilando os proprietários da marca… Ninguém tem bola de cristal para saber o que virá pela frente, mas já dá para termos uma ideia a partir das tecnologias que vem sendo desenvolvidas e que estão gerando muita polêmica.

Seria o Sedric (em alusão ao termo self-driving car) o novo Fusca? Foto: Portal Lubes

Uma amostra da diferença entre a paixão antiga por motores e a atual geração pode ser vista no automobilismo mundial: Fórmula 1, Fórmula-e, Endurance (LeMans e protótipos), já apontam o caminho dos motores híbridos e elétricos. Sem aquele ronco espetacular das grandes combustões internas de motores V10, V12 e até V16! Atualmente o pequeno ruído produzido pelos elétrico, ou mesmo o baixo nível de barulho dos híbridos da F1 nos colocam diante da nova realidade: menos poluição, menos consumo, menos barulho… menos emoção?

“Com isso, até pequenos reparos no carro poderão ser feitos online”, disse para Editora Abril o gerente de projetos Mario Egídio Bozzo, da Delphi, que fabrica equipamentos eletrônicos.

Veículo autônomo de carga da Audi dispensaria os caminhoneiros? Foto: AutoVídeos

A tecnologia híbrida e elétrica já está nos carros de rua, mas será que ficará ainda mais sem graça no futuro? Tem inclusive proposta da Audi para caminhões autônomos, e isso poderia aposentar uma classe trabalhadora? Poderíamos trabalhar durante as viagens, sem se preocupar em ninguém para dirigir? Autônomos nos tirariam o prazer em dirigir pela praticidade de um carro sem volante? Para a BMW sim, que pretende vender veículos autônomos a partir de 2021! Para a Toyota não: A fabricante japonesa apresentou no Consumer Electronics Show (CES), maior feira de tecnologia do mundo realizada em janeiro deste ano em Las Vegas, nos Estados Unidos, um carro conceito sem direção automática e que depende completamente do volante. A explicação? O amor pela direção.

Comunicação com os pedestres e demais veículos. Imagem: Tecmundo

As invenções não param, isso inclui pistão líquido! Ou carros inteligentes que se comunicam e agem sozinhos em caso de emergência.

“O que se sabe é que as fabricantes de veículos e as empresas de tecnologia vão trabalhar juntas. Quem vai mandar, quem vai obedecer, isso não sabemos”, diz Ricardo Bacellar, especialista no setor automotivo da KPMG, consultoria com 1 mil executivos do setor automotivo em 42 países em uma pesquisa bem interessante foi divulgada pela Revista Auto Esporte.

Reuniões em um carro sem motorista. Imagem: Mecanews

Sem dúvida itens como segurança, entretenimento, conforto, menor poluição e maior comodidade são benefícios destes carros do futuro. Num tempo em que a maior parte da população vive em grandes metrópoles de ruas congestionadas, e não mais em cidades em que se precisavam pegar longas estradas, o conceito de carro vem mudando. De um potente V8 de alta cilindrada pronto para cruzar a Route 66 praticamente em linha reta (não se priorizava estabilidade, nem segurança e tão pouco o consumo) para um autônomo elétrico que simplesmente de deixa em um destino próximo sem ao menos fazer ruído e sequer ter volante. É uma realidade que precisamos nos acostumar, uma mudança cultural que nos atingirá em poucos anos.

Futuro do passado: que sobreviva as paixões pelos automóveis! Imagem: Wired

Mas que sobrevivam algumas espécies prazerosas de deslocamento com diversão! Não necessariamente Ferraris, Porsches ou Corvettes, mas que existam também os clássicos antigos preservados em memória à história do automóvel circulando pelas ruas, assim como modelos novos populares com o prazer de um câmbio manual. Que tenhamos ainda a paixão pelos carros em todas as suas épocas, incluindo estas novas gerações que podem sim nos surpreender.

Texto: Marco Escada

Imagem de capa: Mecanews