Marco de Bari, o maior fotógrafo de carros do Brasil faleceu aos 53 anos, após passar alguns dias no hospital nesta semana, depois de um acidente com a estrutura metálica no estúdio onde estava trabalhando.

Quando eu era criança pedi pra trocar a assinatura de revistas em quadrinhos pela Revista Quatro Rodas. Sim, minha paixão por carros vem desde criança, e as fotos das revistas me empolgavam muito. Sonho quase utópico, queria ser como ele: Marco de Bari. Fotógrafo automotivo, profissional que vive do que ama. Décadas se passaram e passei minha carreira pela publicidade, design, artes visuais até chegar à fotografia. E hoje, fotografia automotiva. Não sei se por pressentimento, mas pensei no Marco de Bari ainda esta semana: “Será que agora que sou colega de profissão, poderia conhecer o fotógrafo que me inspirou desde criança?”.

O fato é que não posso mais conhecê-lo, Marco de Bari nos deixou neste mundo para seguir sua passagem em outro plano. Que Deus o tenha e console à família, amigos e fãs como eu, que ainda não compreendem esta partida repentina. Seu legado ficou para gerações de fotógrafos que o acompanham desde 1989. Ele estará presente nas mais de 200 capas que publicou e nas centenas de reportagens que fotografou. Além da maravilhosa pessoa que, por relatos de todos, foi pessoalmente. Que nós fotógrafos possamos ser um pouco de Marco de Bari, em homenagem.

Todos os sites que conheço já deram a notícia e deixaram seus pêsames. Deixo aqui também o meu pesar, de ter alcançado a profissão do meu inspirador e não ter tido a chance de conhecê-lo. Xará Marco, fica minha sincera dor da partida.

No texto estão os links para os sites que deram a notícia, com detalhes e ótimas reportagens. Solidariedade jornalística ao nosso colega tão querido de todos.

Marco Escada

MarcoDeBari

Foto: CarPress (editorial Quatro Rodas)

Foto de capa: Reprodução/Acervo Digital Quatro Rodas e Arquivo pessoal

Deixe sua mensagem