O mercado prepara uma série de lançamentos para 2017, e como é previsível, serão lançados como modelos 2018As cores estão cada vez mais caretas, bem ao gosto do brasileiro, que pensa mais na revenda do que na própria compra. Mas gosto é muito pessoal e as necessidades também são individuais. Então vamos ver o que veremos pela frente:

Corolla, que é a grande sensação de vendas (pois apesar de não ser popular ocupa o 5º lugar entre os mais vendidos no Brasil), vende mais que todos os seus concorrentes de categoria juntos! Some aí os recém lançados em 2016 Honda Civic 10ª geração (aguardem o Civic Si em 2017!), Novo Cruze com moderno motor turbo, Ford Focus, Renault Fluence, VW Jetta, Fiat Linea, Citroën C4, Peugeot 408… Agora imagine com a nova versão em 2017 que estão preparando com novas tecnologias no japonês que é um dos mais vendidos no mundo!

Crédito da foto: AutoEsporte

Crédito da foto: AutoEsporte

Rumores afirmam inclusive, ter uma versão com motor BMW, já que a Toyota possui essa parceria com a montadora alemã desde o MiniCooper D com motor japonês à diesel. É aguardar para ver o Corolla com versão de coração alemão!

Ainda falando em alemães, o novo Mini Countryman (feito na fábrica nacional da BMW) deverá ganhar mais uns centímetros em seu modelo 2018, ficando menos mini e mais camionete. E a Audi vem com o A3 sedã, para entrar na briga dos sedãs descritos anteriormente. A Volkswagem está em contenção, mas quer recuperar as muitas posições perdidas entre os mais vendidos e prepara a nova geração do Gol (sim, acabaram de lançar uma, mas o carro que já foi campeão de vendas por 27 anos consecutivos precisa se recuperar) e uma atualização do Voyage.

Crédito da foto: ChinaMobil

Crédito da foto: ChinaMobil

Já a chinesa Chery planeja lançar no Brasil o Arrizo 3, para concorrer no segmento dos médios-compactos, com o mesmo motor 1.5 Acteco de 113 cv do Celer feito em Jacareí (SP).

E os franceses da Renault finalmente irão lançar o Renault Kwid (substituindo o Clio). Além de atualizar os motores do Logan e Sandero com modernos 1.0 3 cilindros, seguindo a tendência mundial do downsize.

Crédito da imagem: g1.globo.com

Crédito da imagem: g1.globo.com

A Fiat irá reformular todos os seus produtos, a exemplo do que fez a Chevrolet nos últimos tempos. Novos motores FireFly na linha Uno e Mobi já são um grande avanço. Parando de fabricar a defasada família Palio, começando pelo Palio Economy, substituindo pelo Mobi; Siena pelo GrandSiena com motor 1.0 (fraco, porém barato) e definhando o Palio Weekend (que resiste no mundo das peruas com muita maquiagem e acessórios).

A grande tacada italiana é que estão preparando o tão esperado lançamento que irá rejuvenescer toda sua linha de luxo no Brasil: a família Fiat Tipo (que poderá receber outro nome no Brasil). Talvez venha a substituir de uma só vez os ultrapassados Punto e Idea e os sóbrios Bravo e Linea de uma só vez. Serão as versões hatch, sedã e perua, em diversos acabamentos e motorizações que poderão suprir toda a gama de mercado nesta faixa de carros de médio luxo nacional. Resta saber se terão coragem de oferecer uma perua ou se entrarão na onda das SUVs apenas com a Fiat Toro de cabine fechada (como a falecida Fiat Freemont – ou Dodge Journey, como quiser).

Crédito da foto: AutoEsporte

Crédito da foto: AutoEsporte

Crédito da foto: AutoEsporte

Crédito da foto: AutoEsporte

Crédito da foto: AutoEsporte

Crédito da foto: AutoEsporte

Por falar em SUVs, conforme já falado aqui em matéria anterior, os eles continuam sendo apresentados e atualizados, em substituição às peruas (ou Station Wagons, como também eram chamadas as versões família de seus respectivos sedãs ou hatches). Em 2016 foram lançadas algumas novidades como novo Jeep Compass e novo Chevrolet Tracker. Assim como o novo Suzuki Vitara, que em 6 versões consegue supreender pelo desempenho, preço e consumo para todos os gostos! (claro, para um segmento que passa dos R$ 80.000,00).

Como modelos 2017 alguns destes já eram para terem sido lançados no ano passado, como o caso do JAC T3 e Honda WR-V (substituindo o Fit), além de um facelift na Ford Ecosport (seguindo o design da Edge) que certamente serão apresentados neste ano.  Assim como o Hyundai Creta, um SUV menor que o iX35 (ou NewTucson, como preferir, já que a própria montadora não define) e novo Mitsubishi ASX. Já em fase de pré-venda a Renault Captur, modelo que pode preencher a lacuna deixada pela saudosa wagon Mégane GrandTour.

Já a Citroën prepara às escondidas sua grande novidade para 2017: o Cactus, que não é bem um SUV, nem crossover, nem VAN, nem hatch… Ele é baseado no C4, e pretende ser algo único no mercado (como foi feito no lançamento do esperançoso Kia Soul) mas precisamos ver para poder definir! Será que não estará na categoria do já citado aqui Reanult Kwid? Já adiantaram que não teria faixa protetora lateral, nem alguns itens tecnológicos – como sempre fazem todas as montadoras ao baratear os produtos para o Brasil.

Crédito da foto: Motor1.com

Crédito da foto: Motor1.com

Mas talvez tenhamos que esperar mais pelos coreanos Kia KX-3 e Kia Rio. Esperamos que o tão sonhado Toyota CH-R venha antes de 2018. É um SUV abaixo da RAV4, mas não conta como nacional, pois deve vir importado do México no final do ano, onde será construído sobre a plataforma modular TNGA, que estreou na geração mais recente do híbrido Prius 2017. A Volkswagen e seu compacto SUV Taigun (baseado na plataforma do Up!), poderia ser uma boa para nosso mercado, enquanto eles apresentam ao mercado norte-americano a nova Tiguan (chamada de AllSpace nos EUA), uma intermediária abaixo da enorme Touareg, que também recebe um facelift.

Crédito da imagem: CarAndDriverBrasil

Crédito da imagem: CarAndDriverBrasil

Crédito da foto: CarAdvice

Crédito da foto: CarAdvice

Crédito da imagem: CarWow

Crédito da imagem: CarWow

Enfim, são tantos os lançamentos e possibilidades de novos modelos que certamente teremos um ano recheado de novidades. Quem sabe assim, com uma boa oferta de condições de pagamento, tenhamos as concessionárias de 0km aquecidas, já que atualmente a brasa está quente é no mercado de usados e semi-novos.

Texto: Marco Escada

Foto de capa: Renault (divulgação)

Deixe sua mensagem