Como não falar do Verstappen, piloto mais jovem a vencer uma corrida da categoria mais alta do automobilismo mundial. Aos 18 anos o jovem marca a história no GP da Espanha de F1 e surpreende a todos. Até mesmo a própria escuderia, que havia acabado de dar a oportunidade a ele de pilotar na equipe principal (RedBull), trocando ele de lugar com o também jovem Kyviat, que passou para a equipe secundária (Toro Rosso). Pois graças à um acidente envolvendo as Mercedes – que deixariam todos disputando do 3º lugar para baixo – o australiano que acabara de estreiar em uma grande equipe fez um brilhante papel e segurou todos os outros pilotos atrás dele.

Roseberg, que vinha ganhando todas as corridas do ano, tentou defender a posição que seu companheiro Hamilton ameaçava e acabou tirando ambos da corrida. Foi um grande atrito dentro da própria Mercedes, que envolveu todos os diretores juntamente com os pilotos em seu caminhão-trailer para colocarem ordem na casa. Após a discussão interna, foram chamados pela direção de prova, que após analisar decidiu ser disputa normal de corrida e ninguém foi punido.

Assim a corrida ficou interessantíssima para quem assistia, pois tivemos disputas geniais entre Ferrari, RedBull, Willians e até mesmo McLaren contra Haas! Foi uma pena Alonso ter abandonado a prova, pois juntamente com Button, vinham escalando o pelotão intermediário da prova. Enquanto na ponta disputavam bravamente Vettel e Ricciardo, que após estourar o pneu teve que retirar sua RedBull para os boxes na útlima volta.

Assim, Raikkonen teve de se contentar, mesmo fritando pneus, com uma posição atrás do nova revelação da F1: Max Verstappen. Fechando o pódio o tetracampeão mundial Sebastian Vettel. Nossos brasileiros não tiveram boa sorte nesta etapa e ficaram mais para trás tanto no grid de largada quanto no final da etapa: Felipe Massa fez boa corrida de recuperação e ganhou 10 posições, terminando em 8º; enquanto Felipe Nasr ganhou poucas posições e terminou em 15º. Enquanto a Willians segue em ascensão, a Sauber está de mal a pior e não nega a falta de investimentos e decadência em termos de estrutura da empresa.

Agora o gostinho é para sabermos se realmente a jovem revelação irá se manter no topo ou se foi apenas sorte de principiante. Teremos um novo talento que iniciou cedo como Hamilton e Vettel? Ou apenas uma promessa como antecessor Kyviat? Seja como for, Verstappen já escreveu seu nome no livro dos recordes do automobilismo atual.

Foto: Autoportal

setacompartilhe900x180px

Deixe sua mensagem