Finalmente a Fórmula 1 voltou com seus novos carros e novas regras. Assim tirando a enorme vantagem que a Mercedes tinha em 2016, já que tivemos um novo vencedor pela Ferrari! Sebastian Vettel foi perfeito com a estratégia da escuderia italiana e venceu com folga o GP da Austrália, a primeira corrida da temporada 2017 de F1, na madrugada deste domingo. Lewis Hamilton fez a pole-position, mas chegou em segundo lugar, seguido pelo companheiro de equipe, Valtteri Bottas, em terceiro.

Felipe Massa, que largou em sétimo, superou Romain Grosjean na largada, pulou para sexta colocação e manteve a posição até o final da prova no Circuito de Albert Park. Ele respondeu aos repórteres comentando:

“- Não é possível lutar com essas três equipes da frente. O único carro com quem lutei foi Grosjean, que não sei de onde tirou aquela volta na classificação. Estou confiante de que poderemos lutar com esses caras do meio do grid. É muito difícil de ultrapassar. Só passei na largada. Para os pilotos é divertido, porque guiar é muito legal. Mas passar ficou mais complicado.”

Como a gente gosta muito de fotografia, recomendamos clicar neste link para visualizar belas imagens desta primeira etapa da categoria!

Alonso merece a McLaren de volta aos bons tempos. Crédito da imagem: GrandePremio

Os carros estão mais agressivos, maiores e com mais aerodinâmica para a estabilidade, conforme já falamos dos detalhes na matéria anterior (clique aqui) para ver todos os carros, equipes e pilotos.

Os pilotos ainda parecem estar se acostumando com os novos carros, pois foram poucas ultrapassagens fortes, mas o ritmo foi forte.

Fernando Alonso, um dos melhores pilotos da atualidade, continua sofrendo na Mclaren que não consegue acertar o motor Honda. Como alfinetada, ele disse ter sido umas das melhores corridas que ele já participou até hoje, pois mesmo com um carro nada competitivo ele chegou a disputar pontos, embora sua suspensão tenha quebrado antes do final da prova. Palavras de quem já foi bi-campeão mundial e hoje em dia não para de cutucar a equipe para que lhe dê um carro melhor.

Kimi Räikkönen, que continua sendo um homem de gelo mas com atuações um tanto mornas, foi o quarto. Max Verstappen chegando em quinto, mostra que continua entre os melhores desde o ano passado. Felipe Massa, no famoso retorno de quem não foi, garantiu uma boa sexta posição, à frente de Sergio Pérez, sempre um bom piloto da competitiva Force India. Carlos Sainz, chegou em oitavo e Daniil Kvyat em nono, ambos da Toro Rosso. Esteban Ocon, parceiro de Pérez na Force India, faturou seu primeiro ponto na F1 ao terminar em décimo. E o novato Antonio Giovinazzi, completou em 12º com a Sauber.

Não completaram a prova, além do pobre Alonso, Magnussen e Grosjean de Haas, Stroll da Williams, Ricciardo da Red Bull Racing, Ericsson da Sauber e Palmer da Renault. Um pena, pois teria sido um final de corrida mais emocionante se tivessem estas boas equipes disputando até os últimos metros.

Crédito da imagem: SintoniaAmBr

É preciso manter a ressalva de que pilotos jovens demais e com pouca experiência continuem a pagar por seus lugares nas equipes. É a falta de patrocínio que acaba por sucumbir algumas equipes menores e obrigar algumas maiores e aceitar este incentivo financeiro em troca de cokcpits para quem quiser. Como resultado temos pilotos fracos que podem até causar acidentes, o que é uma lástima para maior categoria do automobilismo mundial.

Force India, agora a “Pantera Cor-de-Rosa” da F1! Crédito da imagem: F1Fanatic.co.uk

Comente em nossas redes sociais, clicando aqui para ir à nossa fanpage f1ponto8s do Facebook!

Assine gratuitamente nosso canal e fique por dentro de encontros e conteúdos exclusivos!!!

Imagem da capa: GloboEsporte.Globo.Com