Nossa passagem por Paris coincidiu com uma exposição que tem tudo a ver com a f1ponto8s: AutoPhoto: exposição de fotografias tendo os carros como seu tema. São 90 artistas com mais de 400 fotos de diferentes perspectivas do mundo automotivo. E por sorte tivemos uma visita guiada, ainda que em Francês, mas que pudemos entender facilmente as explicações. O curso de língua francesa que fizemos foi bem aproveitado!

Foto: Clarissa Campos

Autophoto, que também é um trocadilho com a palavra auto-retrato em francês, é uma jornada visualmente estimulante através de mais de um século de mudanças na fotografia e nos carros. Uma exposição de visita obrigatória para os amantes da fotografia e dos carros, além de ser também para as almas nostálgicas.

“Era hora de unificar essas duas técnicas populares, que transformaram o vínculo social em uma jornada artística”, dizem os curadores. “E esta é a primeira vez que uma exposição fotográfica desta magnitude foi organizada sobre este tema”.

Foi muita felicidade estar na França trinta anos após a exibição Tributo à Ferrari, que foi a última vez que a Fundação Cartier (Paris) expôs fotos de automóveis. Agora em 2017, mais uma vez focaliza sua atenção no mundo dos carros com a exposição Autophoto dedicada à fotografia para o automóvel. (Paralelamente, uma retrospectiva Walker Evans também estava em Paris no Centro Georges Pompidou de Arte Moderna e Contemporânea).

exposição é enorme e mostra como a união da câmera e do carro podem render sentimentos diversos.

No final do século XIX, a câmera e o carro foram se tornando cada vez mais comuns e ajudaram a abrir caminho para uma nova e moderna perspectiva de imagens que congelam o tempo e das perspectivas dos automóveis encurtando caminhos. Ambos proporcionando muito prazer a cada nova experiência: novos retratos, novas viagens…

A Fundação Cartier para Arte Contemporânea em Paris exibiu essa enorme exposição aos dois, mostrando como eles alteraram nossas vidas e nossas visões – e como eles continuam a evoluir. Os curadores Xavier Barral e Philippe Séclier (em associação com os curadores Leanne Sacramone e Marie Perennes) afirmam:

“Nos últimos anos, testemunhamos um ponto de virada industrial, social e ambiental na história do automóvel. Por outro lado, a fotografia nunca foi compartilhada desta forma. “

Los Alamos, series 1965 a 1968 by William Eggleston – Eggleston Artistic Trust – Memphis – Courtesy David Zwirner, New York –
London

Com o automóvel e a câmera, eles explicam, todos podem estar em ação no espaço e no tempo. Os carros oferecem facilidade de percorrer quase todos os lugares, com autonomia e movimento. Já a fotografia permite gravar sua presença na história.

A exposição reúne mais de 90 fotógrafos, incluindo trabalhos de figuras bem conhecidas como Jacques-Henri Lartigue, William Eggleston, Lee Friedlander, Stephen Shore e Walker Evans, bem como outros artistas famosos e até anônimos. O show é dividido em cinco seções, cada uma projetada para dar uma visão diferente da interseção de imagens e automóveis.

“Com o design da exposição, pela artista-designer Constance Guisset, estamos propondo uma jornada para o público”, dizem os curadores.

Langdon Clay, Zizka Cleaners car, Buick Electra, from the series Cars – New York City, 1976 – Courtesy of the artist – Langdon Clay

 

A mostra começa com a primeira aparição do carro nas fotografias e as primeiras tentativas de controlar a velocidade e o tempo.

Grand Prix de l-ACF Automobile Delage Circuit de Dieppe, 26 juin 1912, Ministère de la Culture – France AAJHL – Jacques Henri Lartigue

 

A segunda seção mostra carros na paisagem urbana e a evolução de status e modernidade.

Tribute to Giorgio de Chirico, 2017 – Appropriation, unknown photographe, 1958 – Luciano Rigolini collection of the artist

 

A terceira parte coloca o espectador no automóvel e mostra como eles se tornaram uma ferramenta para os fotógrafos e como eles mudaram o mundo com o surgimento de estacionamentos, postos e auto-estradas.

Car Poolers, 12, The Carpoolers series – 2011 a 2012 – Alejandro Cartagena

As duas últimas seqüências mostram como o carro, a fabricação e a representação na publicidade mudaram ao longo do tempo.

Stephane Couturier Toyota n8, Melting Point Series, 2005 – courtesy La Galerie Particuliere

“O último quarto mostra, finalmente, que, como qualquer outro objeto, o automóvel está destinado a desaparecer”, dizem os curadores. “Mas também pode ressaltar, como a Phoenix, graças ao gênio criativo do ser humano e sua habilidade, quando ele quer reciclar sua própria produção”.

Traction Citroen 7, from the series Paradise Parking – Peter Lippmann

 

Reciclagem de ideias e materiais

Ao final e, talvez, a parte mais animada da exposição, um projeto de sociólogos Melle Smets e Joost van Oona com carros intitulados Turtle 1 – Building a Car in Africa, que segue a trilha de peças de carros descartados do mundo ocidental.

Em 2013, os dois sociólogos juntamente com os trabalhadores e mecânicos da Revista Suame, criaram um conceito de carro chamado Turtle 1 usando nada além de peças de sucata de 15 marcas diferentes disponíveis no local. A exposição segue a engenhosa construção que posteriormente foi trazida para a Holanda para uma turnê promocional, fechando o loop em uma economia circular, trazendo as peças do carro descartadas de onde elas vieram.

Recycle: Turtle 1 – Building a car in Africa

A Autophoto está em exibição na Fundação Cartier para Arte Contemporânea até 24 de setembro. Um catálogo, que inclui um prefácio dos curadores e um texto do curador de fotografia Tate Modern, Simon Baker, também está disponível. www.fondationcartier.com

 

Fotógrafos da exposição:

WITH: ROBERT ADAMS • EVE ARNOLD • BERNARD ASSET • ÉRIC AUPOL • THEO BAART AND CARY MARKERINK • SUE BARR • VALÉRIE BELIN • MARTIN BOGREN • NICOLAS BOUVIER • DAVID BRADFORD • BRASSAÏ • ALAIN BUBLEX • EDWARD BURTYNSKY • ANDREW BUSH • RONNI CAMPANA • GILLES CARON • ALEJANDRO CARTAGENA • KURT CAVIEZEL • PHILIPPE CHANCEL • LARRY CLARK • LANGDON CLAY • STÉPHANE COUTURIER • BRUCE DAVIDSON • JEAN DEPARA • RAYMOND DEPARDON • JOHN DIVOLA • ROBERT DOISNEAU • WILLIAM EGGLESTON • ELLIOTT ERWITT • WALKER EVANS • BARRY FEINSTEIN • PIERRE DE FENOŸL • ALAIN FLEISCHER • ROBERT FRANK • LEE FRIEDLANDER • BERNHARD FUCHS • PAOLO GASPARINI • ÓSCAR FERNANDO GÓMEZ • JEFF GUESS • ANDREAS GURSKY • FERNANDO GUTIÉRREZ • JACQUELINE HASSINK ANTHONY HERNANDEZ • YASUHIRO ISHIMOTO • PETER KEETMAN • SEYDOU KEÏTA • GERMAINE KRULL • SEIJI KURATA • JUSTINE KURLAND • JACQUES HENRI LARTIGUE • O. WINSTON LINK • PETER LIPPMANN • MARCOS LÓPEZ • ALEX MACLEAN • ELLA MAILLART • MAN RAY • MARY ELLEN MARK • ARWED MESSMER • RAY K. METZKER • SYLVIE MEUNIER AND PATRICK TOURNEBOEUF • JOEL MEYEROWITZ • KAY MICHALAK AND SVEN VÖLKER • ÓSCAR MONZÓN • BASILE MOOKHERJEE • DAIDO MORIYAMA • PATRICK NAGATANI • ARNOLD ODERMATT • CATHERINE OPIE • TRENT PARKE • MARTIN PARR • MATEO PÉREZ • JEAN PIGOZZI • BERNARD PLOSSU • MATTHEW PORTER • EDWARD QUINN • BILL RAUHAUSER • ROSÂNGELA RENNÓ • LUCIANO RIGOLINI • MIGUEL RIO BRANCO • ED RUSCHA • SORY SANLÉ • HANS-CHRISTIAN SCHINK • ANTOINE SCHNEK • STEPHEN SHORE • MALICK SIDIBÉ • GUIDO SIGRISTE • RAGHUBIR SINGH • MELLE SMETS AND JOOST VAN ONNA • JULES SPINATSCH • DENNIS STOCK • HIROSHI SUGIMOTO • JUERGEN TELLER • TENDANCE FLOUE • THIERRY VERNET • WEEGEE • HENRY WESSEL • ALAIN WILLAUME

Foto: Clarissa Campos

Sobre o local:

Iniciado em 1984 por Alain Dominique Perrin, presidente da Cartier International na época, pelo artista César, e dirigido por Hervé Chandès, a Fundação Cartier para Arte Contemporânea é um exemplo único de filantropia corporativa na França.

Desde que se mudou para Paris em 1994, a Fundação Cartier foi alojada em um prédio arejado cheio de luz que foi projetado pelo arquiteto Jean Nouvel.

Na Fundação Cartier para Arte Contemporânea a cada ano artistas exploram os links entre as artes visuais e outras formas de expressão artística contemporânea.  Como reflexo de nossos tempos, a Fundação Cartier abraça todos os campos e gêneros criativos, que vão do design à fotografia, ecleticismo que abre a arte contemporânea e torna-a mais acessível.

Reconhecida na cena artística internacional e saudada pelo público, a Fundação Cartier se distingue pela curiosidade, originalidade e heterogeneidade.

Foto: Marco Escada

 

Exposição de 20 de abril à 24 de setembro de 2017.

At Fondation Cartier pour l’art contemporain – Paris – França

 

 

Textos:

Marco Escada (trechos textuais extraídos de Susanna D’Aliesio e Urban Mishmash)

 

Referência:

Auto Heroes – Le magazine des Hommes et Autos de caractère – Chapitre 6 – 2017

 

Fotos nesta matéria:

Fondation CartierLuc Boegly (incluindo capa), agnesdahanstudiobjp-online.comurbanmishmash.com e Marco Escada.